Só mais uma noite

19 set

E foi assim, no meio da noite que você me veio. Entre um misto de sonhos e pesadelos.

Entre sonhos interrompidos, seu personagem apareceu das formas mais estranhas. Eu não conhecia nenhuma delas, mas acho que era uma explicação de mim, pra mim mesma, de tudo que aconteceu.

Nada daquilo era familiar pra mim. Nem os cenários, roupas ou diálogos…

Como era de se esperar, acordei pertubada por todos esses acontecimentos. Não sei se essa seria a melhor definição, mas voltei ao passado e a certos acontecimentos.

Não bastava ter entrado nos meus sonhos sem ter pedido permissão. Teve que permanecer por parte o dia, martelando na minha cabeça, e me fazendo repensar certas coisas.

Mas sempre que chega ao final, a minha certeza instituída vem novemente a tona. A de que foi melhor da forma que as coisas seguiram. Foi o melhor destino. A melhor escolha.

Pelo menos por agora. Pelo menos é no que quero acreditar.

Anúncios

Aqueles questionamentos

27 jul

Me fiz a seguinte pergunta: Qual será o limite para se dar “tempo ao tempo”, mas não obtive uma resposta satisfatória.

Será porque certas coisas não podem ser simplesmente controladas ou compreendidas?

Essa minha ânsia por respostas, pela segurança de saber o que vem, às vezes me prejudica.

Não se arriscar sem esperar um retorno certo é um erro que costumo cometer. Medo daquilo que desconheço, ou daquilo que até conheço mas que continua me assustando. Será que posso mesmo considerar um erro? Ou pode ser que às vezes acerto com esse meu comportamento?

A cada dúvida, surgem mais perguntas e menos respostas.

Continuo aqui, agustiada, sem saber a resposta da minha pergunta inicial.

Qual será o limite para se dar “tempo ao tempo”?

não quero dinheiro

4 maio

Isso está totalmente abandonado, mas é que me falta tempo e inspiração…

mas hoje, esse post é especial para pessoas especiais! ;)

amizade não necessita explicação e nem entendimento. é só sentir.

por isso, sintam mesmo que a distância, o quanto amo vocês!

grande beijo e até breve.

Finalement.

3 dez

E as cartas nunca chegaram. Ela não sabia exatamente porque. Simplesmente, esperou por todos os dias escutar novamente aquelas palavras. Ela nunca tinha esquecido daquele pôr do sol. A brisa estava fresca, a praia quase vazia. Ela podia escutar cada palavra sem nenhuma dificuldade. Queria acreditar que poderia ficar ali pra sempre, do mesmo jeito, que as coisas não mudariam.

Mas o dia seguinte chegou, o horário do voo se aproximava e a despedida era inevitável. Aquele último abraço foi dolorido, as últimas palavras atropeladas, e aquele último olhar jamais esquecido.

Ele partiu. Se foi. Acabou. Fim.

tudo não passou de um sonho

5 nov

e ela acordou com o pé esquerdo. podia imaginar que aquele não seria um dos melhores dias… ela teve pesadelos, daqueles que você agradece quando vê que tudo não passou de um sonho.

quando se olhou no espelho, tinha os cabelos desgrenhados e as olheiras de sempre. os cabelo grisalhos começaram a aparecer e isso a assustava. o rosto tinha as marcas do lençol.

tomou coragem e um banho. enquanto a água cáia pelo seu corpo, mentalizou tudo que deveria fazer nessa quinta feira.

iludida, entrou no carro o ligou o som. esperava que a trilha, escolhida ao acaso, lhe desse alguma resposta. foi pelo caminho de sempre. aquela rotina a fazia sentir melhor. chegou no trabalho, e pela bagunça que estava, dava pra ver que tinha acontecido uma festa na noite anterior. e ela não foi convidada…

fez o que sempre fazia, sem uma vírgula a menos ou a mais. almoçou o de sempre, no restaurante de sempre, e o mesmo garçon fez o pedido.

toda essa rotina dava a confiança, que sabia ela, não tinha em si mesma. não tinha sido promovida. sua mesa era a mesma a 20 anos. todos na empresa a conheciam.

sua cor preferida era o bege. não fugia muito disso. o corte de cabelo. o mesmo. nunca mudava. tinha medo de não se reconhecer no espelho.

ela juntou o salário da vida toda, pra fazer aquela viagem.

tinha combinado de passar na agência depois do expediente, mas o trânsito a impediu. se atrasou, perdeu a hora e cancelou.

chegou em casa cansada, e resolveu ir até o bar da esquina comprar algo pra comer. escolheu, pagou e saiu de lá.

o celular tocou, e a chamada tirou toda a sua atenção. esperava há muito tempo ouvir aquilo tudo.

lentamente caminhou, cruzando o caminho de um carro, que ao contrário dela, estava bem rápido.

não se sabe o que ela pensou em seu último minuto, ou se teve tempo de se despedir.

só o que se sabe, é que a homenagem foi simples. a vestiram de bege, arrumaram os cabelos e poucos compareceram.

sua agente ainda a está aguardando, com o roteiro que segundo ela, seria dos sonhos.

alguma coisa sempre fica…

18 out

“PC: amigo, queria só te falar o quanto estou torcendo para a sua melhora.
rezo pelas batalhas que você ainda vai conquistar… você ainda tem muitas coisas pra ver, sentir, cheirar, amar, gostar, assistir, escrever, refletir, buscar, falar… são tantas as ações e verbos que ainda te aguardam.
não estou fisicamente aí, mas meu pensamento não sai do seu lado!
tenho certeza que você vai sair dessa com uma outra visão da vida. você é um dos caras mais competentes e batalhadores que eu conheço, e tem muitas realizações previstas no seu futuro, e que só você pode realizar.
saiba que você é querido demais. é um daqueles amigos que sabemos que está perto, mesmo sem estar. que compreende um gesto, um olhar diferente.
é é exatamente por isso que gosto de você.

o resto te falo pessoalmente! =)
um grande abraço, daqueles bem apertados!
lorênna”

mesmo que você não tenho lido, ou melhor, podido ler, fica aqui o meu carinho e admiração…

porque a saudade bateu assim do nada. =/

inspire-se!

15 out

S2

posts encaixotados, pensamentos guardados e a idéia recorrente de : porque publicar isso?

mas algo me surgiu assim do nada, e me fez parar pra refetir…

O QUE TE INSPIRA?

é um cheiro, um sabor ou um abraço?

um toque, um aperto ou beliscão?

uma lembrança, música ou imagem?

aquela foto, aquele sorriso ou aquele beijo?

um amigo, parente ou desconhecido?

além de várias das opções acima, sabe uma coisa que me deixa inspirada? estar apaixonada…

seja por alguém, por projeto, cantor, sapato, bolsa, música ou gosto. aquela sensação de que alguma coisa importa, de que você tem algo, e que esse algo também te possui.

imagina só se vivessemos sem algo que nos impulsionasse… como iríamos pra frente?

porque acordaríamos?

confesso que quando não estou apaixonada por nada, não vejo sentido nas coisas, e não para de me perguntar o porque…

nesse momento tenho as minhas paixões. algumas correspondidas, outras não… mas são elas que me fazem suspirar, perder os pensamentos e as noites de sono. e que venham mais! afinal, quanto mais melhor!

e você? o que te deixa inspirado?

beeeeijos =*

%d blogueiros gostam disto: